Doenças de veiculação hídrica oriundas do consumo de água imprópria contribuem para a alta incidência de doenças em regiões em desenvolvimento.

O Desafio


Pelo menos 1.8 bilhões de pessoas no mundo usam fontes de abastecimento de água contaminadas com fezes.


Aproximadamente 1000 crianças morrem diariamente devido a doenças evitáveis relacionadas à água e ao saneamento.


Em 2025, metade da população mundial estará vivendo em áreas com escassez de água.

Em 2010, a Assembleia Geral da ONU reconheceu explicitamente o direito humano à água e saneamento. Todos têm direito a água suficiente, contínua, segura, aceitável, fisicamente acessível e economicamente viável para uso pessoal e doméstico.

Uma melhor qualidade de vida

As tecnologias de baixo custo para tratamento de água têm um potencial significativo para melhorar a saúde das comunidades que dependem de água imprópria para consumo. Assim, a qualidade de vida da população devido à redução das doenças aumenta, a presença na escola e no emprego incrementa e diminui o estresse das mulheres (normalmente responsáveis pela colheita e fornecimento de água em casa).

SAFEWATER é um centro transdisciplinar liderado pela Universidade de Ulster (Reino Unido), com colaboradores no Brasil, na Colômbia e no México, focado em tecnologias de baixo custo para fornecer água potável às regiões em desenvolvimento.